Exame Químico-Metalográfico e Identificação Veicular em Automotor do Tipo Motocicleta: Relato de Caso

Autores/as

  • Leonardo de Paula Miranda Polícia Civil do Estado de Minas Gerais, Superintendência de Polícia Técnico-Científica, Seção Técnica Regional de Criminalística de Pirapora, MG, Brasil
  • Thatiane Lopes Oliveira Instituto Federal do Norte de Minas Gerais, Eixo Tecnológico, Campus Januária, MG, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.17063/bjfs11(3)y2022128-135

Palabras clave:

Supressão, Metais , Indicadores, Reagentes

Resumen

Os exames de identificação veicular e ensaio químico-metalográfico são atribuições frequentemente realizadas pelo perito criminal. Destarte, o objetivo deste estudo foi identificar uma motocicleta mediante avaliação dos seus elementos identificadores e execução de exame químico-metalográfico no Número de Identificação Veicular (NIV) e sequencial alfanumérico do motor, a fim de se recuperar os caracteres originais adulterados. Trata-se de um relato de caso concernente a um automotor do tipo motocicleta, a qual exibia pintura automotiva preta e desprovida de placa alfanumérica de identificação veicular.  Por meio de análise macroscópica dos elementos de identificação do veículo, constatou-se inicialmente: pintura em cor vermelha subjacente a preta disposta no tanque de combustível; plaqueta afixada ao chassi veicular manifestando características de originalidade e expressando o ano de fabricação 1999; as sequências alfanuméricas presentes no NIV e motor haviam sido, respectivamente, parcialmente e integralmente suprimidas por ação mecânica. Após preparo das superfícies metálicas do chassi e motor, aplicaram-se sobre o NIV o reagente Besseman e sobre a liga metálica do motor o ácido clorídrico concentrado (35%). Posteriormente à aplicação dos reativos, observou-se a revelação dos caracteres subjacentes originais integralmente pertencentes ao NIV, bem como se evidenciou quase que de forma integral os caracteres gravados no motor veicular. Assim, por meio dos exames elencados, foi tecnicamente possível identificar o automotor analisado. Ademais, salienta-se há uma lacuna literária relativa à temática abordada no campo das ciências forenses, o que enseja a realização de novos estudos e relatos similares. 

Citas

Bruni AT, Velho JA, Oliveira MF. Fundamentos de Química Forense. 2.ed. Campinas, SP: Millennium; 2019.

Stunvoll VP, Quintela VM. Criminalística. 7.ed. Campinas, SP: Millennium; 2019.

Tocchetto D, Espindula A. Criminalística. Procedimentos e Metodologias. 4.ed. Campinas, SP: Millennium; 2019.

Pereira WN, Araújo WMP, Silva AS, Cavalcante AAF, Porto JAS, Cunha JCA, Salgado MF. Aplicação do reagente químico Fry na revelação de números de identificação veicular (NIV) de veículos automotores, realizado pelo Instituto de Criminalística de Timon/MA. Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciências dos Materiais. Anais. Natal (RN). 2016. p. 7932-7940.

Abreu BMPN, Silva JK, Ferreira TSS, Laizo WS. Análise químico-metalográfica e identificação veicular (clonagem). Olhar Criminológico. 2018;1:31-5.

Descargas

Publicado

2022-04-25

Cómo citar

de Paula Miranda, L., & Lopes Oliveira, T. . (2022). Exame Químico-Metalográfico e Identificação Veicular em Automotor do Tipo Motocicleta: Relato de Caso. Brazilian Journal of Forensic Sciences, Medical Law and Bioethics, 11(3), 128–135. https://doi.org/10.17063/bjfs11(3)y2022128-135

Número

Sección

Estudio de Caso