Estimativa de Estatura em Indivíduos Vivos por Meio de Imagens no Âmbito Pericial Criminal – Estudo de Caso Simulado

Autores/as

  • Vanessa Pereira de Araujo Associação Brasileira de Odontologia - Seção Rio Grande do Sul (ABORS), Departamento de Odontologia Legal, Porto Alegre, RS, Brasil
  • Rosane Pérez Baldasso Associação Brasileira de Odontologia - Seção Rio Grande do Sul (ABORS), Departamento de Odontologia Legal, Porto Alegre, RS, Brasil
  • Luciano Beux Instituto-Geral de Perícias, Departamento de Criminalística, Porto Alegre, RS, Brasil
  • Jonathan Bonatto Instituto-Geral de Perícias, Departamento de Criminalística, Porto Alegre, RS, Brasil
  • Raíssa Ananda Paim Strapasson Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Departamento de Odontologia Preventiva e Social da Faculdade de Odontologia, Porto Alegre, RS, Brasil
  • Mário Marques Fernandes Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul, Serviço de Perícias em Saúde, Porto Alegre, RS, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.17063/bjfs11(2)y202262-77

Palabras clave:

Estatura, Fotogrametria, Crime, Odontologia legal

Resumen

Esse estudo objetiva realizar uma análise comparativa de dois métodos científicos utilizados, na perícia criminal, para estimativa da estatura de indivíduo por meio de imagens, visando apontar a técnica que mais se aproxima da estatura real conhecida, em ambiente fechado, frente a uma situação controlada, ou seja, livre de circulação de indivíduos. Para tanto, foi mensurada a estatura real do indivíduo, de 44 anos, sexo feminino. Foram capturadas imagens do indivíduo pela simulação de sistema de vigilância por vídeo. Os exames foram realizados através destas imagens, analisadas em microcomputadores, utilizando softwares livres, captadas por câmera fotográfica digital, em ambiente fechado e controlado, obtendo resultados por estatística descritiva. As imagens obtidas foram analisadas por três examinadores, treinados e calibrados, sem que houvesse conhecimento entre eles dos resultados e da estatura real do indivíduo analisado na amostra. Na Técnica Sobreposição de Gabarito, os três examinadores obtiveram o mesmo valor de mediana (163 cm), estimados no intervalo entre 162 cm e 165 cm. Para a Foto Adaptada, os valores foram estimados no intervalo entre 160 cm e 165 cm. Conclui-se que as duas técnicas propostas para estimativa de estatura em indivíduos vivos por meio de imagens, como complementar no processo de identificação humana, no âmbito pericial criminal, se mostraram confiáveis e válidas, não apresentando diferença estatística nas três observações de cada examinador. Importante considerar que as imagens da pesquisa apresentavam boa qualidade e mínima distorção, proporcionando adequada visualização do indivíduo em cena, o que de fato, nem sempre é realidade na rotina pericial.

Citas

França GV. Medicina legal. 10. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2016.

Vanrell JP. Odontologia Legal e Antropologia Forense. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2019.

Daruge E, Daruge Júnior E, Francesquini Júnior L. Tratado de Odontologia Legal e Deontologia. 1. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2019.

Freire JJB. Estatura: dado fundamental em antropologia forense [Dissertação de Mestrado]. Piracicaba: Faculdade de Odontologia de Piracicaba, FOP/UNICAMP; 2000. http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/288791

Iunes DH, Castro FA, Salgado HS, Moura IC, Oliveira AS e Bevilaqua-Grossi D. Confiabilidade intra e interexaminadores e repetibilidade da avaliação postural pela fotogrametria. Revista Brasileira de Fisioterapia. 2005;9(3):327-34.

Angelis D, Sala R, Cantatore A, Poppa P, Dufour M, Grandi M et al. New method for height estimation of subjects represented in photograms taken from video surveillance systems. Int J Legal Med. 2007;121(6):489-92. https://doi.org/10.1007/s00414-007-0176-4 DOI: https://doi.org/10.1007/s00414-007-0176-4

Guan YP, Unsupervised human height estimation from as image. Scientific Research. 2009;2(6):425-30. https://doi.org/10.4236/jbise.2009.26061 DOI: https://doi.org/10.4236/jbise.2009.26061

BenAbdelkader C, Cutler R, Davis L. Person identification using automatic height and stride estimation. In: Object recognition supported by user interaction for service robots. IEEE. 2002;4:377-80.

Kalia S, Shetty SK, Patil K, Mahima VG. Stature estimation using odontometry and skull anthropometry. Indian J Dent Res. 2008;19(2):150-4. https://doi.org/10.4103/0970-9290.40471 DOI: https://doi.org/10.4103/0970-9290.40471

Krishan K, Sharma A. Estimation of stature from dimensions of hands and feet in a North Indian population. J. Forensic Leg Med. 2007;14(6):327-32. https://doi.org/10.1016/j.jcfm.2006.10.008 DOI: https://doi.org/10.1016/j.jcfm.2006.10.008

Araújo GT. Antropologia. Associação Brasileira de Nutrologia. 2015. https://docplayer.com.br/65761054-Antropometria-guilherme-t-araujo-me-mba-md.html

Cavalcanti AL, Porto DE, Maia AMA, Melo TRNB. Estimativa da estatura utilizando a análise dentária: estudo comparativo entre o Método de Carrea e o Método Modificado. Rev.Odontol. UNESP. 2007;36(4):335-9.

Publicado

2022-01-26

Cómo citar

Pereira de Araujo, V., Pérez Baldasso, R., Beux, L., Bonatto, J., Ananda Paim Strapasson, R. ., & Marques Fernandes, M. (2022). Estimativa de Estatura em Indivíduos Vivos por Meio de Imagens no Âmbito Pericial Criminal – Estudo de Caso Simulado. Brazilian Journal of Forensic Sciences, Medical Law and Bioethics, 11(2), 62–77. https://doi.org/10.17063/bjfs11(2)y202262-77

Número

Sección

Estudio de Caso